Osteopatia - Filosofia e Princípios

Osteopatia - Filosofia e Princípios

13 de Novembro de 2017
em Dicas

Osteopatia

 Osteopatia tem ação voltada com o olhar clínico para o indivíduo, diferente do sistema convencional centrado na doença, sem recorrer a fármacos ou intervenção cirúrgica. 

Desenvolvida no século XIX por um médico americano da Virgínia, Dr. Andrew Taylor Still.  

É reconhecida mundialmente, sobretudo na Europa e em países como Austrália e Canadá, em que o tratamento engloba o sistema público de saúde, sendo inclusive recomedado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como prática de saúde.

O osteopata intervém por meio de técnicas manuais sútis, utilizando métodos de diagnósticos comumente aceitos, bem como alguns métodos de diagnósticos específicos.

 "A Osteopatia não é apenas uma abordagem mecanicista da doença, mas um sistema autêntico e efetivo que tenta eliminar as causas de uma saúde prejudicada e busca fortalecer o poder curativo básico que existe dentro do próprio corpo."

Andrew Tayllor Still

Dr. Still desenvolveu conceitos, princípios e filosofia osteopática.

 

Filosofia

A estrutura governa a função e a função determina a qualidade da estrutura

As funções corporais (movimento, digestão, respiração, entre outros) e as estruturas relacionadas devem estar em perfeita harmonia.

Existem 03 tipos de situações:

- Estrutura íntegra e o corpo  permite modificações.

- Estrutura não íntegra e o corpo permite modificações.

- Estrutura não íntegra e o corpo não permite modificações. 

 

 

Princípio da AutoCura

Corpo possui todos os mecanismos  para se auto regular.

Tudo vai depender do meio, se está favorável ou não.

 A nível de sistema nervoso não existe regeneração (existem pesquisam evidenciando que o nervo óptico depois de um determinado nível pode voltar a crescer, geralmente nascendo um novo).

“O organismo humano é a farmácia de Deus” (Dr. A. T. Still).

 

Unidade do Corpo

O corpo está inteiro conectado, é único e indivisível. A disfunção pode ter sua especificidade, porém repercute e influencia o corpo todo.

 

 Lei da Artéria 

É preciso ter um equilíbrio entre absorção e produção em todos os fluídos corporais. Se em alguma região existe um déficit, estará mais suscetível a lesões.

 

 

 


Fonte: Gustavo Cavenaghi