Glúteo máximo inibido

Glúteo máximo inibido

12 de Abril de 2018
em Dicas

Não, não estou me referindo a um glúteo vergonhoso antes que você pense neste trocadilho.
O glúteo máximo inibido ou inibição do glúteo máximo é uma disfunção que atinge grande parte da população.

Vou fazer uma rápida explicação para entender o porquê desta disfunção.  Com a evolução, o homem passou da posição de quadrúpede (quatro apoios) para a posição bípede (em pé, sobre os apoios dos pés); para manter esta posição, a musculatura do corpo exerce o papel de estabilização e o glúteo máximo é um dos mais importantes músculos nessa função visto que tem a sua inserção com lombar, isquiostibiais e adutores; esse conjunto, juntamente com outros do quadríceps e abdômen, é o responsável pela estabilização do corpo durante a marcha.

Porém atualmente, a maioria população mundial passa a maior parte do tempo em posição sentada ou deitada; isso fez com que o glúteo deixasse de ser ativado. É a lei do uso e desuso; se não usamos, perdemos. O glúteo máximo é ativado durante a marcha, corrida e outras atividades feitas na posição em pé. 

Com a inibição desta musculatura, outros músculos acabam compensando sua função e essa compensação é o que aumenta o risco de lesões de posterior de coxa, por exemplo, muito comum em corredores. Outras consequências como o valgo ou varo dinâmico e dissociação de marcha, também são resultados da falta de ativação glútea. 

Resumindo, a ativação do glúteo máximo é de extrema importância para a população e principalmente para atletas amadores ou profissionais; este trabalho é feito através de exercícios e fortalecimentos específicos. 

A procura por uma academia que lhe ofereça profissionais capacitados e preocupados com todos os detalhes importantes para a melhora do seu desempenho, é mais que necessária, torna-se obrigatória. 

Prof. Esp. Gabriel Morínigo Detomini* - CREF: 102.058 – G/SP


Fonte: Gabriel Morínigo Detomini