A IMPORTÂNCIA DO TÊNIS DE CORRIDA CERTO

A IMPORTÂNCIA DO TÊNIS DE CORRIDA CERTO

29 de Junho de 2017
em Corrida

A corrida de rua teve um grande crescimento nos últimos anos, especialmente pelo aumento do número de atletas amadores. A Maratona de Boston e a Corrida de São Silvestre, por exemplo, hoje limitam suas inscrições a 25 mil e 20 mil participantes, respectivamente. Esses dados demonstram que as pessoas buscam cada vez mais fugir do sedentarismo ou até mesmo perder peso com a prática de alguma atividade física.

Com o aumento dos adeptos da corrida, houve significativo crescimento na fabricação de acessórios específicos, voltados para esse segmento, como os tênis, por exemplo, que hoje são encontrados nos mais diversos modelos.

Cada pessoa tem um tipo específico de pisada, que é determinado pelas características anatômicas: tipo de pé (normal, plano e cavo), disposição dos joelhos e o ângulo que eles formam com o quadril e a flexibilidade de articulações, como a do tornozelo. A essas particularidades, soma-se o equilíbrio muscular, que também varia de indivíduo para indivíduo.

Devido a esses fatores, correr ou caminhar com um calçado inapropriado pode sobrecarregar as articulações dos pés, joelhos, quadris e até da coluna vertebral, levando ao desgaste dessas estruturas e, consequentemente, a dores e lesões ortopédicas. Felizmente, hoje, saber o tipo de pisada contribui para a aquisição de calçado mais apropriado, que ajudará a evitar lesões.

Como identificar
Uma das mais eficientes formas de se classificar um tipo de pisada é a avaliação biomecânica, realizada em laboratório, por meio de câmeras bi ou tridimensionais e por marcadores refletivos. Mas, como esses procedimentos não são viáveis a todos os atletas, os especialistas indicam formas mais simples de aferição, como analisar o desgaste do solado do tênis. Nesse caso, é recomendado escolher um modelo neutro, ou seja, que apresente o mesmo suporte dos dois lados da entressola, sem nenhuma tecnologia para controle de pronação (inclinação).

Os casos mais comuns, que ocorrem com pessoas que não utilizam o tênis correto, são as torções nos tornozelos e joelho (menisco medial), fricção do trato iliotibial – chamado de joelho de corredor –, bursite trocantérica (dor no quadril), dentre outros.
 
O corredor profissional Poll Corri é um exemplo de como o calçado errado pode ser pejudicial. Por utilizar tênis incorreto para sua pisada, o atleta passou um ano sentindo dores sem saber o motivo. “Descobri que o tênis não era condizente com minha pisada e isso acarretou em uma fratura de estresse da tíbia direita”, conta.

Tipos de pisada

Os diferentes tipos de pisada são classificados como: pronada, supinada e neutra

  • pronação acontece quando, durante a movimentação, a parte de fora do calcanhar toca o chão e o pé inicia a rotação para dentro e, só depois, se endireita. Embora uma quantidade moderada de pronação seja necessária para que o pé funcione apropriadamente, lesões podem acontecer quando ela acontece em excesso, situação no qual o arco do pé se achata, alongando músculos, tendões e ligamentos que ficam na parte inferior do pé.

     
  • Arco do pé alto é geralmente associado à supinação. Nesse caso, o peso é aplicado na borda exterior do pé durante a corrida. Esse tipo de pé requer um tênis flexível, com bom amortecimento. Na pisada supinada, ocorre o oposto da pronação.  Durante a movimentação, o calcanhar toca o solo e o pé inicia uma rotação para fora. Uma quantidade normal de supinação acontece quando, durante a pisada, o calcanhar deixa o solo e os dedos são usados para a propulsão do corpo. Mas quando ela é excessiva há uma sobrecarga nos músculos e tendões que estabilizam o tornozelo, fazendo com que ele gire totalmente para fora, resultado em torção ou até mesmo na ruptura total dos ligamentos.

     
  • Pé chato (arco do pé achatado) é geralmente associado à pronação. Nesse caso, o peso é aplicado na borda interior do pé durante a corrida. Esse tipo de pé requer um tênis que ofereça total controle do movimento. Importante ressaltar que, tanto a pronação quanto a supinação são considerados problemas biomecânicos.

     
  • A pisada neutra também começa com a parte externa do calcanhar e com o pé girando ligeiramente para dentro durante a movimentação, terminando com a parte da frente do pé inteira tocando o solo. Corredores com pisada neutra podem ter o arco de pé normal, alto, médio ou até mesmo baixo. Sendo assim, eles podem usar uma variedade grande de tênis de corrida.

O que usar

Atualmente, a indústria de calçados esportivos tem aprimorado seus modelos e disponibilizado para o mercado produtos que auxiliem de forma eficiente na prevenção de lesões. Há modelos que otimizam a pisada e reduzem impactos, servindo tanto para pisadas neutras quanto para as pronadas. Outros possuem amortecimento de alta performance, estrutua adequada para atletas com pisada neutra. Há, ainda, os que têm como foco a estabilidade e o amortecimento, sendo ideal para pisada neutra subpronada.